top of page

Plano Safra Paraná tem R$ 54,3 bilhões: investimento em armazenagem pode ser financiado

Banco do Brasil, cooperativas de crédito e BRDE estão entre as fontes dos recursos


R$ 1,1 bilhão será destinado para finalidades diversas, entre elas o custeio da estrutura de armazenagem


O governo do Paraná lançou nesta terça-feira (15) o Plano Safra 2023/2024. São R$ 54,3 bilhões captados de diversas fontes, entre elas o Banco do Brasil, cooperativas de crédito e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O pacote é destinado a custeio e investimentos dos agricultores familiares e dos médios e grandes agropecuários. As estruturas de armazenagem de grãos estão contempladas nas linhas de financiamento.


Os créditos serão aplicados em três finalidades. A maior fatia se destina a custeio e comercialização: R$ 46,3 bilhões. Novos investimentos no setor consumirão R$ 9,6 bilhões desses recursos. Outro R$ 1,1 bilhão será aplicado em ações com finalidades diversas, entre elas o custeio das estruturas para armazenagem, como os Silos-Secadores, GranDutos, Máquinas de Pré-Limpeza de Grãos e outros equipamentos Granfinale.


O grande objetivo é tornar a atividade no campo mais rentável, competitiva e verde, melhorando a estrutura de produção, armazenagem e comercialização e amparando os empreendimentos contra eventos causadores de perdas.


Paulo Bertolini, diretor da Granfinale Sistemas Agrícolas, reforça a importância da armazenagem adequada dos grãos para a garantia da qualidade da produção e destaca outras vantagens de se investir na estrutura dentro da própria fazenda.


"No Brasil, apenas 15% dos silos estão dentro das propriedades, enquanto nos Estados Unidos esse índice passa dos 60%. O produtor que tem seu próprio silo sai na vantagem, tem independência na hora de comercializar a safra e pode conseguir preços melhores, não é impactado pela alta do custo do frete na colheita, além de ter a segurança de que não terá perdas pela estocagem errada", aponta.

Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o anúncio marca o início do ano agrícola, que começa no segundo semestre, e serve de incentivo aos agricultores para acessarem recursos e ampliarem a produção.


Ratinho Junior explicou que o governo do Estado aproveitou o Plano Safra nacional, lançado em junho pelo governo federal, e aportou novos recursos para melhorar as condições de crédito para os agricultores paranaenses.


“Quisemos potencializar ainda mais esse crédito para atender os agricultores do Paraná, principalmente os pequenos produtores. Queremos continuar com aquilo que fazemos de melhor, que é produzir alimentos para o mundo com sustentabilidade”, afirmou.

Também foram confirmados aportes financeiros para outros programas já bem-sucedidos no Estado. É o caso do Programa de Apoio ao Cooperativismo da Agricultura Familiar do Paraná (Coopera Paraná). A iniciativa, criada em 2019, já atendeu 101 cooperativas e 66 associações, formalizando 217 projetos. Ela receberá mais R$ 31,5 milhões para investimento e custeio.


(Com informações da AEN)


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


124034.png
bottom of page